General amarelou

“Tal como numa partida de futebol, no Exército, quando a disciplina sai de campo, entra o vale tudo. Esse é o risco da falta de pulso firme do comandante”, alerta o jornalista Alex Solnik ao falar sobre o general Paulo Sérgio

Siga o Brasil 247 no Google News
Assine a Newsletter 247

Por Alex Solnik 

Mesmo com apoio da maioria do Alto Comando, da imprensa e da opinião pública, o comandante do Exército, general Paulo Sérgio atravessou o Rubicão.

Alinhou suas tropas às de Bolsonaro.

A maioria dos 15 generais de quatro estrelas do Alto Comando do Exército advogava uma punição a Pazuello, ainda que leve.

Ninguém imaginava que seria expulso da força ou preso. Mas podia levar cartão amarelo, ao menos. Uma advertência.

A imprensa, da esquerda à direita, encorajava o general a manter controle sobre a tropa. Puna, general, era a voz unânime.

Mas o comandante, pressionado pessoalmente por Bolsonaro, amarelou. Não foi falta, decidiu; muito menos para cartão. Engoliu o sapo.

Tal como numa partida de futebol, no Exército, quando a disciplina sai de campo, entra o vale tudo. Esse é o risco da falta de pulso firme do comandante.

Bolsonaro conseguiu romper a linha que separava o Exército da política. Rompeu a porteira.

Vai continuar em campanha levando Pazuello a tiracolo, como mascote, já que esses passeios inspirados em Mussolini não são mais considerados atos políticos pelo comandante do Exército.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

About macroblogbase10

Check Also

Mello Franco: Bolsonaro “exerce o poder como um cupim da democracia”

“Em dois anos e meio, o cupim Bolsonaro já roeu parte dos pilares do edifício …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *